Tranca, Dança da

Tranca, Dança da – É musicalmente um fandango, que ganhou este nome por ser bailado com um pau atravessado no chão, em redor e por cima do qual os bailadores exibem alternadamente o seu sapateado, mas que não podem pisar. É praticada na zona de Silvares, concelho do Fundão, e no vizinho Ourondo, do concelho da Covilhã. No Souto da Casa, mesmo concelho do Fundão, era também usada esta dança de desafio ao som do fandango, que aí levava o nome de “jogo do pau” – pesquisa fundanense de José Alberto Sardinha.

O fandango, desde a sua fórmula coreográfica inicial (homem versus mulher em alternado frenesim de sapateado), serviu, tal como muitas outras danças populares, para exibição de sapateado e jogos de destreza -e a dança da tranca é um exemplo dessas transformações coreográficas, aliás localizável noutras regiões do país. Note-se que aqui, na dança da tranca, o despique bailatório é ainda entre elementos dos sexos opostos, ao passo que noutras regiões e noutras circunstâncias, esse despique é interpretado apenas por homens – v. fandango.