Festas e romarias – BEIRA BAIXA

1º trimestre

  • Póvoa da Atalaia, Fundão, 3º domingo de Janeiro – Festa de S. Sebastião ou Festa das Papas. Na procissão integram-se duas filas de mulheres com açafates à cabeça levando as papas de carolo.
  • Almaceda, Castelo Branco, 20 de Janeiro – Festa de S. Sebastião
  • S. Jorge da Beira, Covilhã, 20 de Janeiro: Festa de S. Sebastião. Bodo oferecido pelos mordomos.
  • Janeiro de Baixo, Pampilhosa da Serra, 20 de Janeiro – Festa de S. Sebastião, com bodo. Festa idêntica, também com bodo, noutras aldeias do concelho, como Cabril, Ponte de Fajão e Vidual.
  • Forcalhos, Sabugal, 3 de Fevereiro – Festa de S. Brás

2º trimestre

  • Paúl, Covilhã, penúltima sexta-feira da Quaresma: Procissão dos Penitentes. Com as luzes da povoação apagadas, grupos de homens descalços envoltos em panos brancos arrastam correntes pelas ruas, em forma de suplício pessoal que os irmana aos padecimentos de Cristo a caminho do Gólgota. Entoam um cântico soturno.
  • Fundão, Semana Santa – Quinta-Feira Santa: procissão com teatralização dos Mistérios da Paixão nas várias capelas do trajecto. Sexta-Feira Santa: procissão do Enterro do Senhor, à luz de archotes (as luzes da cidade estão apagadas) e ao som da fanfarra dos bombeiros e das matracas
  • Castelo Novo, Fundão, 2ª feira de Páscoa – Romaria da Senhora da Serra
  • Penamacor, segunda-feira de Páscoa: Romaria de Nossa Senhora do Incenso. Missa seguida de procissão solene ao redor da capela. Merendas no arraial e convívio.
  • Salvaterra do Extremo, Idanha-a-Nova, 2ª feira de Páscoa – Festa da Senhora da Consolação ou Festa do Bodo: banquete com ensopado de carne para todos os presentes.
  • Belmonte, 26 de Abril: Romaria de Nossa Senhora da Esperança. Na véspera à noite, procissão das velas. No dia de festa, missa e procissão. Segundo a tradição, a imagem de Nossa Senhora da Esperança terá acompanhado Pedro Álvares Cabral, natural de Belmonte, na descoberta do Brasil.
  • Idanha-a-Nova, segunda-feira do terceiro domingo de Páscoa – Romaria de Nossa Senhora do Almortão, talvez a mais importante romaria da Beira Baixa, hoje último bastião das vendedeiras e tocadoras de adufes. Os ranchos das várias aldeias, à chegada ao santuário, dão três voltas à capela e cumprimentam Nossa Senhora tocando adufes no alpendre, virados para o altar. Impressionante procissão e missa campal. Merendas pelo arraial. Ao fim da tarde, a banda filarmónica toca a conhecida melodia à Senhora do Almortão ao redor da capela, seguida de muito povo e muito entusiasmo.
  • Castelo Branco, domingo terceiro de Páscoa  (15 dias depois do Domingo de Páscoa – feriado municipal na terça-feira) – Romaria de Nossa Senhora de Mércoles, padroeira da cidade. No sábado, procissão nocturna em redor do santuário. No Domingo, pelas ruas de castelo Branco, a banda filarmónica toca as Alvíssaras da Ressurreição. Domingo e terça-feira, missa campal e procissão. Arraial e divertimentos populares, ranchos folclóricos, tunas, concertinas e bandas filarmónicas. Grande afluência de gentes de toda a Beira Baixa.
  • Monsanto, Idanha-a-Nova, 3 de Maio – Festa da Santa Cruz ou do Castelo. Além das festividades religiosas, realiza-se a tradicional subida ao castelo, em cortejo popular, transportando as marafonas (bonecas de trapos, usadas em dias de trovoadas para as esconjurar) e um pote cheio de flores que é lançado do alto das muralhas, em comemoração de um cerco lendário que terá terminado após a população sitiada ter lançado do mesmo local uma vitela com o bucho cheio de trigo, indicando ao exército inimigo que ainda tinham muitos víveres armazenados.
  • Alcaide, Fundão, domingo terceiro de Páscoa –Romaria de S. Macário: a procissão sobe à capelinha em honra do santo protector do ouvido
  • Tortosendo, Covilhã, 40 dias depois da Páscoa: Festa de Nossa Senhora dos Remédios. Na véspera, procissão das velas. No domingo, nova procissão.
  • Lousa, Castelo Branco, 3º domingo de Maio – Festa da Senhora dos Altos Céus. Interessantes danças rituais: dança da genebres, dança das tesouras, dança das virgens, resquícios das danças que outrora integravam as procissões religiosas, sobretudo a do Corpus Christi
  • Vale da Senhora da Póvoa, Penamacor, Domingo do Espírito Santo – Romaria da Senhora da Póvoa
  • Covilhã, Julho (data móvel): Feira de São Tiago. Gastronomia: queijos e cherivias. Diversões populares.

3º trimestre

  • Aldeia das Dez, Oliveira do Hospital, primeiro domingo de Julho: Romaria de Nossa Senhora das Preces. Santuário no cimo do monte, em local d maravilha, onde, segundo a lenda, apareceu Nossa Senhora. Em redor do santuário, várias capinhas representando cenas  da via sacra, que os romeiros visitam nos dois dias da festa. Romaria muito concorrida. Missa campal.
  • Paúl, Covilhã, primeiro domingo de Julho: Romaria de Nossa Senhora das Dores. Procissão desde a igreja até ao santuário, onde é dita a missa. À tarde, cortejo alegórico.
  • Sabugal, várias aldeias do concelho, mês de Agosto – capeia raiana, forma peculiar de lidar toiros
  • Teixoso, Covilhã, 15 de Agosto – Senhora do Carmo
  • Pedrógão Pequeno, Sertã, 8 de Setembro – Senhora da Confiança
  • Monsanto, Idanha-a-Nova, segundo domingo de Setembro – Senhora da Azenha
  • Castelejo, Fundão, 15 de Setembro (feriado municipal) – Romaria de Santa Luzia, a maior romaria da Cova da Beira, juntando peregrinos provenientes das serras ao redor, e da região do Pinhal. Na véspera, procissão de velas nocturna desde a Igreja do Castelejo até ao santuário, seguida de arraial, este animado por grupos de concertinas e de adufes. No dia da festa, o anúncio musical da alvorada tem lugar no Fundão, no largo da Câmara Municipal, com as entidades locais. Missa campal e procissão solene ao redor do arraial. Seguidamente, chegam os tractores das freguesias, cada um trazendo o seu grupo de romeiros, que irrompem pelo arraial cantando e recebendo os aplausos dos conterrâneos que os esperam junto à fonte, em delírio. Passando a fonte, chegam à capela e descem dos carros. Formam-se então os grupos de bombos que, à vez, irrompem pelo arraial. com estrondo e galhardia. O povo abre alas e aplaude, contagiado pelo frenesim percutivo. Merendas pelo arraial.
  • Quadrazais, Sabugal, segundo domingo de Setembro – Santa Eufémia

4º trimestre

  • Caria, Belmonte, 2 de Dezembro – Festa de Santa Bebiana. Cortejo pelas ruas anunciando a festa e celebrando a santa e o S. Martinho, com animação musical a cargo de acordeão e de pífaros. Sermão e eleição da mulher mais bêbeda da terra.