Reis, Cantar dos

Braga, 2002

Reis, Cantar dos – A adoração dos Reis Magos no presépio de Belém é um dos pontos altos das celebrações da Natividade. Em Espanha é uma festa particularmente popular. Em Portugal, por todo o país, era costume cantar-se de porta em porta na noite de 5 para 6 de Janeiro, em grupos de rapazes e raparigas, anunciando a visita dos Reis Magos e pedindo alimentos consumidos no local ou no final da noite em refeição colectiva, à semelhança do que sucede com as Janeiras. Habitualmente, os habitantes das casas têm a mesa posta e o grupo come e bebe na ocasião.

Geralmente o canto tem acompanhamento instrumental, que varia de região para região, mas que é composto por cordofones no Minho, Douro e Beira Litoral e por concertina ou acordeão nas restantes províncias. Muitos destes conjuntos instrumentais resultam das tunas rurais, mesmo nos locais em que estas já se não encontram activas. As melodias denotam, na sua maior parte, construção eclesiástica, visto serem os sacerdotes os seus compositores mais habituais. Nalguns locais, a tradição ainda é praticada e noutros são os elementos dos ranchos de representação folclórica, ou dos bombeiros, ou de outras associações que, tal como fazem nas janeiras, cantam de porta em porta pedindo compensação pecuniária para ajudar a custear as despesas das suas actividades.

Mais: Tunas do Marão, de José Alberto Sardinha, Tradisom 2005, p. 192-195; Discografia: Faixa 21 (Carvalhais, Santa Marta de Penaguião) do CD 1, Faixa 5 (Gestaçô, Baião) do CD 3, discos que acompanham este último livro; Recolhas Musicais da Tradição Oral Portuguesa, 1982, de José Alberto Sardinha, Disco 1, Lado B, Faixa 9 (Durrães, Barcelos), Disco 3, Lado B, Faixas 2 (Santiago de Rio de Moinhos, Borba) e 5 (Vila Verde de Ficalho, Serpa); Recolhas de Armando, inéditas, arquivo RDP, bobine AF-457 (Alijó), AF-543 (Vidigueira), AF-545 (Estômbar, Lagos), AF-451 (Duas Igrejas, Miranda do Douro); Portugal – Raízes Musicais, de José Alberto Sardinha, BMG/Jornal de Notícias 1997, CD 1, Faixa 30 (Barcelos), CD 2, Faixas 7 (Macedo de Cavaleiros), 21 (Chaves), CD 5, Faixas 16 (Borba) e 30 (Serpa).

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *