Mário Correia – Biografia

01

Mário António Pires Correia nasceu aos 26 de Março de 1952, na Praia da Granja, tendo passado grande parte da sua infância numa aldeia dos arredores de Braga, da qual eram naturais seus pais – imigrantes no Porto, gente do coração do Minho para quem a música tradicional e folclórica fazia parte integrante das suas vidas, marcando-lhes os ciclos e as estações.

Durante a sua adolescência e juventude, Mário Correia repartiu o seu tempo entre as tarefas e exigências académicas (licenciatura em Economia, 1973) e o estudo e divulgação das músicas tradicionais. E a partir de 1970 passou a integrar o quadro de colaboradores regulares da revista de música popular editada no Porto, MC-Mundo da Canção, da qual se tornou director em 1976 e até Abril de 1998.

Integrando o grupo de divulgadores da música tradicional e popular portuguesa, assim como das suas congéneres europeias e latino-americanas, nos últimos anos tem desenvolvido intensa colaboração dispersa pelos mais diversos jornais (Diário de Notícias, Público e Blitz, entre outros) e revistas (Ghaita, de Madrid; Na Gaits, de Vigo; Interfolk, de Madrid; Filandar, de Zamora). Realizou também alguns programas de rádio (“Cantares de Amigo”, primeiro no extinto Rádio Club Português e depois na RDP-Antena 1 e “Eurofonias”, entre Dezembro de 1995 e Janeiro de 1997, na Rádio Novembro/RCP- Lisboa). Em 2002/2003, colaborou com a equipa responsável pela série televisiva “Povo Que Canta – Segundo Passo” na realização dos dois filmes consagrados a Trás-os- Montes.

Acresce, ainda, a sua participação em diversos seminários, conferências e colóquios abordando temas relacionados com a música tradicional e popular, quer portuguesa quer europeia, assim como a regular realização de sessões informativas em diversas escolas do ensino secundário, em Universidades, em associações culturais e festivais (entre os quais se destacam as conferências proferidas, durante dois anos seguidos, no âmbito das actividades paralelas do Festival do Mundo Celta de Ortigueira, na Galiza, no Congresso Europeu da Gaita de Foles, bem como no Festival Folk de Segóvia e no Concurso Folk de Navelgas, Astúrias, entre outros).

Entre 1971 e 1998, Mário Correia foi o responsável pela programação e produção executiva do Festival Intercéltico do Porto, sendo actualmente consultor de vários festivais folk, nomeadamente galegos e asturianos (participando activamente nas respectivas actividades paralelas).

A partir de Julho de 1998, Mário Correia decidiu criar as condições necessárias e adequadas à concretização de toda uma série de projectos pessoais, criando em Março de 1999 a sua própria empresa, SONS DA TERRA – Edições e Produções Musicais, cujas actividades são as seguintes: . Edição de recolhas musicais da tradição oral portuguesa (foram já publicados, na etiqueta discográfica Sons da Terra, cerca de 120 discos compactos); . Edição de livros e de publicações associadas à temática musical; . Realização de concertos e de festivais, bem como apoio promocional e divulgativo de eventos de tal natureza; . Lançamento de uma publicação consagrada ao estudo e divulgação da música e das tradições populares e tradicionais, a revista Trad&Folk (nove volumes publicados).

Em Setembro de 2001, fundou o Centro de Musica Tradicional Sons da Terra, sediado em Sendim (Miranda do Douro), consagrado ao trabalho de recolha, estudo e divulgação da música tradicional (com particular incidência na área transmontana). Assumindo-se como um centro de investigação, o Centro tem apoiado estudantes de etnomusicologia e antropologia (nacionais e estrangeiros) na elaboração quer de simples trabalhos quer de projectos mais completos e extensos (teses e tesinas várias, em colaboração com instituições universitárias sobretudo estrangeiras). Investigador na qualidade de membro colaborador do IELT (Instituto de Estudos de Literatura Tradicional) da Universidade Nova de Lisboa, tem vindo a publicar regularmente várias obras consagradas às temáticas musicais.

Cargos

  • Director do Centro de Música Tradicional Sons da Terra (Sendim, Miranda do Douro)
  • Director do Festival Intercéltico de Sendim – Terras de Miranda
  • Director do Douro Celtic Fest (Vila Nova de Gaia)
  • Director da revista Trad&Folk (Vila Nova de Gaia)
  • Presidente do Júri do Concurso Folk “Cuarto de Los Valles” de Navelgas (Astúrias)
  • Membro do Júri do Universo Folk (Oviedo, Astúrias).
  • Vice-Presidente da ALCM (Associaçón de la Lhengua i Cultura Mirandesa).

Sócio

  • Sócio fundador da Mirandum FM (Miranda do Douro)
  • Sócio Honorário do Centro Artístico, Cultural e Desportivo Adriano Correia de Oliveira (Avintes, Vila Nova de Gaia)
  • Sócio fundador da Associação Portuguesa para o Património Imaterial
  • Sócio Honorário da Caramonico – Associação Cultural de Palaçoulo (Miranda do Douro)
  • Sócio Honorário da Associação de Pauliteiros de Sendim
  • Sócio fundador da Associação Amigos do Coliseu do Porto (Porto)
  • Sócio da Associação José Afonso (Lisboa)
  • Sócio da Academia de Letras de Trás-os-Montes

Eventos Criados

  • Fundador do Festival Intercéltico de Sendim – Terras de Miranda
  • Fundador do Festival Intercéltico de Vizela
  • Fundador do Arribas Folk – Concurso Nacional de Música Folk
  • Douro Celtic Fest (Vila Nova de Gaia)

Distinções

  • Prémio Europeu de Folklore Agapito Marazuela 2007 (Segóvia, Espanha)
  • Galardão “Chosco de Oro 2010” (Navelgas, Astúrias)
  • Medalha de Mérito Cultural (Governo de Portugal, 2012)

Livros Publicados

  • 1976: Daniel Viglietti – A América Latina Canta e Luta. Edição MC-Mundo da Canção, Porto.
  • 1983: Música Popular Portuguesa – Um Ponto de Partida. Edição MC-Mundo da Canção/Centelha, Coimbra.
  • 1987: Adriano Correia de Oliveira – Vida e Obra. Edição Centelha, Coimbra.
  • 1996: Eurofonias – Uma Viagem Musical pela Europa dos Povos. Edição Celtibera, Porto.
  • 1998: A Música Tradicional na Obra de José Afonso. Edição da Câmara Municipal da Amadora, Amadora.
  • 2000: Carlos Paredes – Uma Guitarra em Movimento Perpétuo. Edição Sons da Terra, Vila Nova de Gaia.
  • 2001: Raízes Musicais da Terra de Miranda. Edição Sons da Terra, Vila Nova de Gaia, (livro com CD).
  • 2002: Bi Benir la Gaita – Contributos para a História dos Gaiteiros Mirandeses. Edição do Instituto de Desenvolvimento Social, Lisboa.
  • 2003: Toques da e Sinos na Terra de Miranda. Edição Sons da Terra, Vila Nova de Gaia, (livro com CD).
  • 2008: Pauliteiros de Miranda (Cércio). Viagem a Londres. Royal Albert Hall. Janeiro,
  • 1934. Edição Sons da Terra, Vila Nova de Gaia (livro com CD)
  • 2009: Manuel José Lopes. Tiu Pepe, Gaiteiro de Freixiosa (1850-1924. Edição Sons da Terra, Vila Nova de Gaia.
  • 2010: De boca em boca. Os sons e as palavras de Miranda. António Maria Mourinho. De parceria com Olinda Santana e Domingos Morais. Edição Sons da Terra/Câmara Municipal de Miranda do Douro. 2011: Recolhas Musicais da Tradição Oral. António Maria Mourinho. Arquivos Sonoros de Ilídio Cristal. Edição Sons da Terra.
  • 2012: Adriano Correia de Oliveira – Um Trovador da Liberdade. Estratégias Criativas, Porto.
  • 2012: Toques de Sinos na Terra de Miranda. Segunda edição com prefácio do Bispo de Bragança-Miranda D. José Cordeiro. Âncora Editora, Lisboa.
  • 2012: Histórias de Vida dos Gaiteiros do Planalto Mirandês. Que de fol’gaita tocavam… Prefácio de Amadeu Ferreira. Âncora Editora, Lisboa.
  • 2012: A Música Tradicional na obra de Adriano Correia de Oliveira. Edição Sons da Terra/AJA Norte/AJA Aveiro.
  • 2013: As Mulheres Cantadas por José Afonso. Edição do Centro de Música Tradicional Sons da Terra. 2013: Pairavam Abutres nas Arribas. Âncora Editora.
  • 2013: Tamborileiros & Fraiteiros da Terra de Miranda. Âncora Editora.
  • 2014: Manuel José Lopes, dito Tiu Pepe, Gaiteiro de Freixiosa (1850-1924), com Jorge Lira e Gonçalo Cruz. Edição do Centro de Música Tradicional Sons da Terra.
  • 2014: Ângelo Arribas – Gaiteiro & Tamborileiro Mirandês. Edição do Centro de Música Tradicional Sons da Terra.
  • 2015: José Afonso – Andarilho nas Astúrias. Edição do Centro de Música Tradicional Sons da Terra.
  • 2015: Que é feito do pastor João? Âncora Editora.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *