Leça, Armando

Digitalização

Leça, Armando – Músico, compositor e folclorista. Autor do primeiro levantamento músico-popular em Portugal, realizado em 1939-40, sob os auspícios da Comissão para a Comemoração dos Centenários, que consistiu numa recolha musical com gravador em todas as províncias do continente. Esta recolha reveste-se do maior valor histórico, etnográfico e musical, o qual, porém, não tem sido devidamente realçado. Nunca veio, porém, a ser editada, obviamente por causa da proverbial incúria das entidades públicas. Chegou mesmo a recear-se que o material estivesse perdido nas instalações da Emissora Nacional, entidade responsável pelas gravações, ou extraviado fora delas.

        Em 1983, José Alberto Sardinha, então autor do programa “Cancioneiro Popular”, da Antena 2 da RDP, e o seu realizador Bernardino Pontes conseguiram descobrir uma cópia dessas gravações, justamente nas instalações da RDP, antiga Emissora Nacional. As fitas foram então recuperadas, após o que os cerca de 400 espécimes musicais desta recolha de Armando Leça, foram estudados por José Alberto Sardinha e por ele transmitidos na íntegra, ao longo de mais de um ano, entre 1983 e 1984, no referido programa radiofónico, tendo sido devidamente salientada a sua importância e o facto de estar tal recolha a ser revelada ao público pela primeira vez.

     Num livro recente (2014), Armando Leça e a Música Portuguesa, 1910-1940, a autora, Maria do Rosário Pestana, esforça-se por demonstrar que a ela se fica a dever o resgate ao esquecimento das recolhas de Armando Leça, o que, pelo exposto, não corresponde à verdade. Bastava, aliás, ler o artigo “Armando Leça e o primeiro levantamento músico-popular realizado em Portugal”, escrito por José Alberto Sardinha e publicado em 1992 na Revista da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (disponível também na net), onde se dava conta da transmissão radiofónica integral das ditas recolhas e do eco do agrado do público e particularmente dos filhos de Armando Leça, agradecidos por se ter quebrado o silêncio que durante decénios pesara sobre as recolhas de seu pai. No mesmo artigo são sumariamente analisados todos e cada um dos cerca de 400 trechos musicais colhidos por Leça e fornecidas as referências de código das bobines no arquivo sonoro da Rádiodifusão Portuguesa, pelo que nunca poderá ser invocado qualquer desconhecimento da transmissão radiofónica integral em 1983-84 das ditas recolhas musicais. Já anteriormente a este artigo, aliás, tudo isto havia sido noticiado por José Joaquim Dias Marques em artigo intitulado “As recolhas inéditas do romanceiro tradicional”, in Oral Tradition and hispanic literature – Essays in honor of Samuel G. Armistead, também disponível na internet.

      Armando Leça definia-se como músico caminheiro – e com inteira propriedade, na medida em que desde 1913 que começou a calcorrear aldeias de todo o país para colher e conhecer a música que considerava constituir elemento essencial da alma nacional, conceito romântico que prevalecia à época. O seu conhecimento da realidade da música rural justificou a sua escolha para dirigir o referido levantamento nacional patrocinado pela Comissão dos Centenários. A sua pesquisa pioneira foi marcante para toda a investigação etnomusical em Portugal, sendo muito de assinalar que muitas aldeias onde fez recolhas vieram posteriormente a ser visitadas por Michel Giacometti (vide), matéria que deverá merecer desenvolvimento em qualquer estudo que venha futuramente a escrever-se sobre a história da investigação etnomusical em Portugal.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *