Entrudo

Lindoso

Entrudo – Tempo de divertimento colectivo nos quatro dias que antecedem quarta-feira de cinzas. O nosso povo, contudo, alarga esse período, fazendo-o começar logo a seguir ao dia de Reis, altura a partir da qual costumavam sair as contradanças (vide), aos domingos, pelas aldeias ao redor da dos seus intérpretes. Tempo também de licenciosidade autorizada, em que a comunidade permite comportamentos que violam as regras da sua vida corrente e normal. As principais manifestações musicais desta época eram as cègadas, as pulhas e as contradançasvide. Na terça-feira gorda, ou na quarta-feira de cinzas realiza-se o enterro do entrudo, dramatização do final do tempo de folia, por vezes com acompanhamento de banda filarmónica interpretando marchas fúnebres ou solenes. A costumeira inclui um testamento, em que se criticam acontecimentos ou personagens locais, terminando com a queima do boneco que representa o entrudo. Além destas manifestações e das brincadeiras e partidas, que variam de região para região, no entrudo armam-se bailes populares durante três ou quatro dias.

Mais: Tradições Musicais da Estremadura, de José Alberto Sardinha, p. 175 a 205;  Discografia: Faixas 14 a 19 (Anços, Sintra; Livramento, Mafra; Póvoa de Penafirme, Torres Vedras; Casalinho das Oliveiras, Lourinhã; Torres Vedras; Paúl, Mafra) do CD 2 que acompanha este livro;  Recolhas de Armando Leça, inéditas, arquivo RDP, bobine AF-538 (Malpica do Tejo, Castelo Branco).

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *