Despique

Digitalização

Despique – Forma tradicional do canto ao desafio no Algarve e Baixo Alentejo, geralmente ao som da viola campaniça, com uma melodia arcaica e a obrigatoriedade poética de assistir ao “ponto”, isto é, à rima fixada pelo primeiro cantador, sob pena de sanção para o cantador prevaricador (que pisasse o ponto ou fugisse a ele, i. e., que repetisse palavra já utilizada, ou que não terminasse na rima), geralmente o pagamento da rodada de vinho na taberna. Com o prolongamento do desafio, tornava-se cada vez mais difícil para os cantadores encontrarem novas palavras com a rima fixada, o que gerava discussões acerca da quebra dessa regra. Talvez tenha sido esta a razão por que o despique passou a ser progressivamente substituído por outra forma de desafio mais simplificada, o baldão  – vide.

Também na Madeira, além do Bailinho, leva o nome de despique uma forma de canto ao desafio, porém suportada num género musical muito mais vivo e sem obediência a ponto.

Mais: Viola Campaniça, o outro Alentejo, Círculo de Leitores/Tradisom 2002, de José Alberto Sardinha, p. 162 a 168. Discografia: faixa 31 do disco 1 que acompanha esse livro; Recolhas Musicais da Tradição Oral Portuguesa, 1982, de José Alberto Sardinha, Disco 3, Lado B, Faixa 10 (Umbria, Alferce, Monchique); Antologia da Música Regional Portuguesa – Algarve, de Michel Giacometti, Face 1, faixa 5.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *