Cabaço

José Ribeiro de Sousa, Costa, Leiria, 1999

Cabaço  (ou cabaça) – Depois de retirada a polpa, a abóbora seca e serve para vários fins, entre os quais vasilhame e também instrumento musical, quer soprando para o seu interior, quer agitando-a depois de se colocarem lá dentro pedrinhas ou sementes (as próprias pevides), neste último caso utilizada como instrumento rítmico, sacudindo-a e batendo-lhe com a mão ao ritmo da música que se pretende acompanhar. Para a outra utilização musical, sopra-se para o seu interior por um orifício redondo aberto no seu bojo, produzindo um som cavo e grave. Diz-se também que leva um cabaço quem vê o seu intento amoroso negado por outrém, como se canta no jogo da Triste viuvinha: “Já lá levas um cabaço/ Dois ou três hás-de levar”.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *