Búzio

Alvorninha, Caldas, 1998 rancho azeitona

Búzio – O búzio é frequentemente utilizado pelo povo português para, através do sopro para o seu interior, produzir um som cavo mas agudo e potente, que serve ao chamamento de reuniões ou ajuntamentos colectivos, como o conselho dos vizinhos, a assembleia dos velhos da aldeia, os ranchos da azeitona, ou doutros trabalhos agrícolas, estes no Ribatejo, Estremadura, Alentejo e Beira Baixa. Ocorre também, ainda hoje (2015), como meio de chamamento de gado, como é o caso da reunião da cabrada na Serra do Gerês. Era igualmente utilizado pelos vendedores ambulantes para anunciar aos fregueses a sua chegada (hoje é utilizada a buzina dos veículos automóveis em que trazem a mercadoria: pão, peixe, mercearias). Dada a sua natureza, começou certamente por ser um meio de aviso ou comunicação marítima, mas estendeu-se para terras do interior, tais como Trás-os-Montes, Alentejo e Beira Baixa mais oriental, assim como nas serranias minhotas e ainda na Ilha da Madeira. Para as mesmas funções é por vezes usado um chifre de cabra ou de boi. Frequentemente, o nome que é dado ao toque do búzio, ou aos seus congéneres (chifres, etc.) é apenas o de buzina.

Mais: Instrumentos Musicais Populares Portugueses, de Ernesto Veiga de Oliveira. Discografia: Idanha-a-Nova, toques e cantares da vila, EMI 1995, de José Alberto Sardinha, Faixa 1; Recolhas de Armando Leça, inéditas, arquivo RDP, bobine AF-525 (Mondim de Basto).

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *