Bombo, bombos

Digitalização

Bombo, bombos – O bombo é um instrumento musical popular de percussão, constituído por um tambor cilíndrico, em madeira ou metal, de grandes dimensões, rematado, nas duas pontas, por peles em tensão, que são percutidas pelas mocas, maçanetas, ou macetas, que o tocador vibra com energia e mesmo violência. Na música de tradição oral, ocorre acompanhando os grupos de gaiteiros (gaita-de-foles, caixa e bombo) desde Trás-os-Montes, Minho, até à Estremadura transtagana, passando pela Beira Litoral, em arruadas e bailes. Pode também ser observado em grandes grupos, a que correntemente se dá o nome de “píferos”, hoje mais “bombos” (Beira Baixa), zabumbas ou Zés-Pereiras (Minho e Douro Litoral), que têm por função animar as festas e romarias, correndo o arraial, ou em arruadas pelas povoações. Nestes grupos de número elevado de bombos, estes podem actuar sozinhos (só pancadaria, ou estrondo), ou acompanhando instrumentos melódicos, como a gaita-de-foles (Minho e Douro) e o pífaro (Beira Baixa). Em qualquer das situações, são acompanhados pelo toque da caixa (vide). Aos objectos de madeira que batem nas peles chama-se mocas e, mais recentemente, maçanetas ou macetas. Nos últimos vinte anos têm surgido grupos urbanos de percussão inspirados nesta tradição dos bombos, os quais exibem ritmos sincopados diferentes dos tradicionais, mas que têm vindo a influenciar o reportório dos grupos rurais. Verifica-se mesmo que alguns dirigentes desses grupos urbanos se arvoraram em professores de percussão e propõem-se “ensinar” os grupos rurais, como se estes precisassem de lições. Acontece até que, mal-afortunadamente, algumas Câmaras Municipais têm dado acolhimento a esse tipo de abordagem,  assim colaborando na deturpação da tradição musical dos seus concelhos.

Mais: Instrumentos Musicais Populares Portugueses, de Ernesto Veiga de Oliveira.  Discografia: Portugal – Raízes Musicais, BMG/Jornal de Notícias 1997, recolha de José Alberto Sardinha, CD 1, Faixa 32 (Ponte de Lima/Barcelos), CD 4, faixa 39 (Fundão); A Origem do Fado, de José Alberto Sardinha, CD 3, Faixas 3 (Boscras, Baião) e 13 (S. Pedro de Paus, Resende); Recolhas de Armando Leça, inéditas, arquivo RDP, bobine AF-539 (Lavacolhos, Fundão), AF-526 (Celorico de Basto).

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *