Alvíssaras

IMG_3147

Alvíssaras – Manifestação popular de alegria pela Ressurreição de Jesus Cristo: em sábado de aleluia, após a missa em que se acende o círio pascal na escuridão da igreja assim se simbolizando o renascimento da luz, o povo abandona o templo e percorre as ruas cantando loas e cânticos de alegria, parando em certos locais como a casa do pároco, as capelas do lugar, a residência de gente ilustre, para pedir as alvíssaras, que lhe são dadas em forma de amêndoas, passas, rebuçados ou outras vitualhas e vinho. A esses cânticos se passou, por isso, a chamar alvíssaras, justamente porque os populares estão anunciando a boa nova da Ressurreição, pedindo recompensa por esse anúncio. Na Beira Baixa são cantadas ao adufe, como ainda hoje sucede na vila de Idanha-a-Nova, a que o pároco local corresponde com o lançamento de dezenas ou centenas de pacotes de amêndoas sobre a multidão que o saúda em frente de sua casa. Segue-se cortejo informal pelas ruas com  instrumentos filarmónicos, apitos e chocalhos. Nalgumas localidades do Alto Alentejo, v. g. em Castelo de Vide, a manifestação é igualmente ruidosa, à base de campainhas, cornetas e chocalhos.

     Discografia: Recolhas Musicais da Tradição Oral Portuguesa, 1982, de José Alberto Sardinha, Disco 1, Lado A, Faixa 9 (Malpica do Tejo, Castelo Branco); Portugal – Raízes Musicais, BMG/Jornal de Notícias 1997, recolhas de José Alberto Sardinha, CD 4, faixa 22 (Castelo Branco); Recolhas de Armando Leça, inéditas, arquivo RDP, bobine AF-535 (Parada de Gonta, Tondela), AF-537 (Quadrazais, Sabugal e Vale de Lobo, Penamacor).

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *